Mapas de calor para tecnologias emergentes

Mapas de calor são representações gráficas que mostram em quais pontos ou regiões concentram-se o maior número de interações, qualquer que seja o assunto ou a ocasião.

Indica, através de cores, maior ou menor concentração da presença de variáveis que você gostaria de acompanhar e ajudam a construir a tomada de decisões.

Pode ser vista em diversas ocasiões, No esporte, por exemplo, (aproveitando o momento dos jogos olímpicos) você já deve ter visto uma apresentação de mapa de calor mostrando a concentração do deslocamento de atletas por regiões do campo em uma partida de futebol.

Mas o que isto tem a ver com tecnologias emergentes?

É isto que este post (que pode ser complementado com o artigo do link abaixo) pretende trazer.

Já tivemos oportunidade de discutir em outros posts deste blog o movimento apontado por pesquisa do Gartner da participação cada vez mais intensa das áreas de negócio envolvidas em soluções de TI.

Trazendo o dado da pesquisa: até 2024, cerca de 80% dos produtos e serviços de TI serão desenvolvidos por profissionais que não são da área de tecnologia.

Some a este cenário o crescimento de novas tecnologia, com a onda de APIs impulsionadas pelo low-code, “democratizando” a proposta de soluções e mesmo a produção de software para além das fronteiras do controle de TI.

Entretanto, uma verdade permanece imutável: Tecnologia só faz sentido quando gera valor ao negócio, quando gera novas oportunidades de crescimento.

Tecnologias emergentes ou disruptivas precisam ter aderência e importância (precisam contribuir de maneira significativa) com a estratégia da empresa.

 

Aproveitar a possibilidade de diversas áreas de negócio contribuírem de maneira efetiva na proposição e produção de soluções (pesquisa Gartner), reforçando que estas áreas estão alinhadas com a melhoria de seus resultados e entregas, fará com que diversas interações apareçam.

Neste momento o mapa de calor vai lhe ajudar a encontrar muitas destas interações, que passarão a ter ainda mais relevância em função do “calor” gerado. Pode entregar a importância e até alguma ordem de priorização.

Você vai visualizar pontos que concentram o maior número de interações entre: necessidades x soluções x departamentos x estratégia da empresa.

Como destaca o artigo do link abaixo: “…O mapa de calor pode ajudar a descobrir sinergias entre divisões e departamentos onde você pode alavancar investimentos, projetos, recursos e/ou ferramentas. Também é importante explorar as diferenças. Eles podem revelar onde um grupo descobriu uma oportunidade que pode funcionar para outros ou talvez uma área de nicho ou caso de uso aplicável apenas a uma única divisão ou departamento…

Ao mesmo tempo que a metodologia parece resolver questões importantes e trazer sinergia para o processo de escolha e implantação de novas tecnologias, parece também ser um paradoxo.

Como áreas que tendem a ter uma visão muito particular e específica de momentos do negócio ( e precisa ser assim) podem colaborar e convergir? A resposta passa um pouco na formação de SQUADS, mas podemos tratar disto em um outro momento.

Gostaria neste momento de tratar de soluções que buscam aproveitar esta possibilidade de convergência.

Esta necessidade foi levantada recentemente em conversa com importante liderança na área de inovação de uma empresa de seguros:

… o problema é que a cada solução trazida por negócios encontramos dificuldades em integrar ou escalar para outras áreas da empresa. Ficamos limitados a resolver um problema específico de determinada área…

Quando recebo este tipo de imput e também ao ler a matéria de Nicholas D. Evans, autor de “Mastering Digital Business” e “Business Innovation & Disruptive Technology” que destacamos no link abaixo e me inspirou para este post em nosso blog, sou levado a pensar nas soluções propostas pelas ferramentas de BRMS.

Soluções de BRMS são pensadas para o gerenciamento de regras de negócio que materializam os modelos de atuação de todas as áreas de negócios. Estas ferramentas trazem a possibilidade de construir um repositório de variáveis e regras de negócio e manter um organismo vivo da base de conhecimento da empresa.

Regras de negócio são ativos da empresa. Com base na combinação de variáveis e regras decisões são tomadas por diversas áreas na empresa. Determinam “o quê”, “porquê” e “como” algo é feito.

 

 

Pense em uma ferramenta que consolida a gestão deste importante ativo. Temos aqui um bom exemplo da sinergia buscada pelos mapas de calor.

Quer um exemplo? A informação de DATA de cadastro de um cliente, ou de uma venda.

O dado pode ser o mesmo (DATA) mas pode ter significados específicos para cada departamento, e portanto precisa ser tratado de modo diferente. Para o Financeiro pode significar possibilidade de ampliar limites de crédito. Para o Marketing pode significar a necessidade de comunicação de data de aniversário como cliente ou de alguma promoção. Para o Comercial pode significar a proximidade de renovação de contrato ou de oferta de novos produtos. Para o Produtos pode indicar processos de garantia ou atualizações necessárias.

 

O dado pode ser o mesmo (data) mas pode ter significados específicos para cada departamento, e portanto precisa ser tratado de modo diferente.

 

E você pode apostar, quando uma única ferramenta consegue dar respostas diferentes para todas estas áreas, alinhada à estratégia da empresa e gerando valor ao negócio (não vou nem falar aqui das possibilidades de gerar APIs e produzir software em low-code que estas ferramentas entregam) seu mapa de calor vai “BRILHAR”

Como se fosse o maior atacante de seu time se movimentando na área do adversário e fazendo muitos gols.

O mapa de calor vai indicar que o melhor lugar para ele estar é perto da área do adversário.

E você, já achou o melhor lugar para que uma nova tecnologia possa agregar valor ao seu negócio?